Blog Arquitetura

O ofício do arquiteto no mundo moderno

arquitetura_2017

 

O mundo moderno em que vivemos vem se tornando cada vez mais competitivo e individualista. As pessoas andam em bolhas invisíveis e fazem de tudo para não precisar falar com desconhecidos- o desejo de sucesso e dinheiro tornou o ser humano fechado para seus semelhantes que ao seu ver são apenas concorrentes e para conquistar o almejado fará de tudo que for preciso, mesmo que isso seja prejudicial a outro ser humano.

 

ser humano

 

Mas, afinal, o que o Arquiteto e Urbanista tem a ver com isso?

O Arquiteto e Urbanista tem o poder de melhorar essa situação através de projetos e planejamento. Projetar espaços públicos que consigam fazer o usuário se sentir parte do espaço e ter vontade novamente de se relacionar com os demais usuários, ao invés de se refugiarem no mundo tecnológico, como é visto em muitas áreas públicas.

Além disso ao se planejar as cidades, o arquiteto e urbanista pode através de parcerias do poder público, tornar a economia da cidade menos agressiva, a partir de projetos e políticas públicas que possibilitem um desenvolvimento econômico mais relacionado com a cidade e com a cultura do local. Essas ações criarão novamente um relacionamento harmonioso entre os cidadãos e consequentemente também uma melhor participação nas decisões tomadas para a cidade.

 

 

Primeiro painel no mundo a gerar energia através dos passos do pedestre

pavegen smart street

A Pavegen, empresa de tecnologia lançou a primeira Smart Street localizada em West End, Londres onde utiliza painéis cinéticos de pavimentação para gerar energia através dos passos dos pedestres.

A placa geradora de energia é uma matriz de 10 metros quadrados e o caminho é equipado com tecnologia que permite gerar energia quando alguém caminha sobre a placa – a medida que os pedestres caminham a pressão faz com que os geradores no piso se desloquem verticalmente – a indução eletromagnética cria energia cinética que pode ser utilizada para alimentar outras dispositivos como iluminação e equipamentos urbanos.

smart street

Além disso, essa rua inclui outras tecnologias sustentáveis como os bancos ClearAir da Airlabs que limpam o ar e a tinta Airlite que purifica o ar de gases e bactérias.

Abaixo um vídeo onde explicam um pouco mais sobre essa inovação:

 

A análise do desenho urbano

 

Corredor cultural- Projeto de Fernando Romero
Corredor cultural- Projeto de Fernando Romero

 

O desenho urbano interage diversos métodos de análise e atuação de outras disciplinas – cada forma de analisar a cidade a partir do desenho urbano gera conclusões diferenciadas e é essencial para a discussão das necessidades físico-ambiental das cidades.

O meio urbano é responsável por suprir as necessidades da população – por isso o desenho urbano precisa ser produzido a fim de suprir essas necessidades. Geralmente o que acontece é a grande preocupação no embelezamento da cidade e a vontade de alimentar o ego do arquiteto que acaba esquecendo-se de se preocupar com as questões que envolvem as pessoas que irão usufruir do lugar e as questões de bem estar. A forma como será disposto esse ambiente projetado vai dizer como as pessoas utilizarão ou não o lugar. Já vimos muitos lugares que foram projetados para o uso da população e não conseguem atingir sua função- muito provavelmente por que ao se projetar o espaço não deram a devida importância à sensação que as pessoas sentiriam ao passar por aquele lugar que talvez ao invés de ser convidativo possa estar trazendo a sensação contraria, afastando a população.

O espaço só faz sentido para o ser humano quando ele consegue perceber a qualidade do ambiente através da vivência- portanto é muito importante que os espaços sejam pensados com a finalidade de envolver o individuo e o instiga-lo a usufruir daquele ambiente ou edificação. Esse é um dever de nós arquitetos e urbanistas ao se projetar seja uma edificação, uma praça, um bairro ou uma cidade!

Scroll To Top