Blog Arquitetura

A análise do desenho urbano

 

Corredor cultural- Projeto de Fernando Romero
Corredor cultural- Projeto de Fernando Romero

 

O desenho urbano interage diversos métodos de análise e atuação de outras disciplinas – cada forma de analisar a cidade a partir do desenho urbano gera conclusões diferenciadas e é essencial para a discussão das necessidades físico-ambiental das cidades.

O meio urbano é responsável por suprir as necessidades da população – por isso o desenho urbano precisa ser produzido a fim de suprir essas necessidades. Geralmente o que acontece é a grande preocupação no embelezamento da cidade e a vontade de alimentar o ego do arquiteto que acaba esquecendo-se de se preocupar com as questões que envolvem as pessoas que irão usufruir do lugar e as questões de bem estar. A forma como será disposto esse ambiente projetado vai dizer como as pessoas utilizarão ou não o lugar. Já vimos muitos lugares que foram projetados para o uso da população e não conseguem atingir sua função- muito provavelmente por que ao se projetar o espaço não deram a devida importância à sensação que as pessoas sentiriam ao passar por aquele lugar que talvez ao invés de ser convidativo possa estar trazendo a sensação contraria, afastando a população.

O espaço só faz sentido para o ser humano quando ele consegue perceber a qualidade do ambiente através da vivência- portanto é muito importante que os espaços sejam pensados com a finalidade de envolver o individuo e o instiga-lo a usufruir daquele ambiente ou edificação. Esse é um dever de nós arquitetos e urbanistas ao se projetar seja uma edificação, uma praça, um bairro ou uma cidade!

A praça e sua relação com a cidade

 

Praça Roosevelt

As praças afetam diretamente o convívio social, já que são espaços públicos, que se transformam em variados usos de lazer para a população. Por esse motivo o projeto da praça deve- se integrar com seu entorno e com o tecido urbano existente. Muitas praças, acabam por serem vinculadas ao sistema de fluxo de pedestres, perdendo sua função arquitetônica e paisagística e acabando com a identidade da paisagem urbana e a preservação dos espaços públicos destinados a esse fim.

O espaço público pode ter diversas formas e tamanhos, compreendendo desde uma calçada até uma paisagem panorâmica com edifícios, praças entre outros. A palavra público indica que tais lugares devem ser acessíveis a todas as pessoas, portanto é necessário pensar na acessibilidade do lugar e que seus equipamentos possam ser utilizados por todos – a praça deve ter seus direitos de acesso e uso público preservados, sendo considerado um elemento singular na formação da paisagem da cidade e cultura urbana.

A praça, além de ser um espaço físico aberto de convívio urbano, ela possui um papel importante na vida da cidade-quando as praças são mal planejadas acabam virando ambientes desertos e perigosos não cumprindo sua função como elemento público. Para que a praça cumpra sua função deve –se propor o acesso físico, visual e social a fim de que a pessoa sinta vontade de utilizar o lugar. A barreira física refere-se a falta de barreiras espaciais e arquitetônicas, a barreira visual se refere a qualidade do primeiro contato com o espaço e o social refere-se a presença de sinais que sugerem o tipo de pessoa que deve utilizar o local.

Por fim, diagnosticar o principal uso do espaço e as necessidades dos frequentadores auxilia na concepção de um bom projeto e faz com que ele seja realmente inserido no tecido urbano, e apropriado pela população.

Praça Pôr do Sol
Praça pôr do sol em Pinheiros – SP.

A Importância do Desenho Urbano nas Cidades 

Blog Arquitetura - Desenhos Urbanos

O desenho urbano se relaciona diretamente com as pessoas no que diz respeito a acessos, áreas de bem estar comum entre outros aspectos que tornam a cidade mãos agradável e convidativa.

Não existe uma fórmula de Desenho Urbano perfeito,  o que existem são teorias colocadas em praticas ou não, que servem de embasamento para, através da analise local juntamente com essas teorias, diagnosticar o melhor desenho para a cidade em questão.

O ambiente urbano deve suprir as necessidades de todos os habitantes que ali residem e que, venham a residir, seja por um breve período. Os lugares onde serão colocadas as áreas de convivência, de estar, bem como os ambientes de promoção cultural e saúde devem ser planejados para que qualquer um consiga facilmente chegar até o local, sem problemas ou constrangimentos. Nesse aspecto entra também os desenhos de ruas e calçadas que ao contrário de que vemos em grande parte das cidades Brasileiras, deveria ser generosa com o pedestre, tornando o caminhar mais agradável e interessante.

Muitos podem dizer que não é possível se conseguir algo assim, mas é muito mais fácil do que imaginamos, alargar uma calçada, propor um desenho que converse com seu entorno, projetar áreas de descanso, são ações que já beneficiam a população e promovem maior bem-estar.

Por esta razão e muitas outras mais, é de extrema importância, a presença de um Arquiteto e Urbanista para decidir e conseguir alcançar através da analise e pesquisa, o desenho urbano que cada cidade certamente necessita.

Scroll To Top